Postado 19/05/2017 por Daniel Farkuh

Honda CG: relembre a história da primeira moto a álcool e flex

Há mais de 40 anos, foi lançada a Honda CG, uma das motos mais vendidas no Brasil. Essa máquina de duas rodas tem uma trajetória de sucesso e vamos mostrar agora todas as gerações dessa história. Confira!

1ª geração da Honda CG (1976 a 1982)

Em 1976, a Honda lançou a motocicleta que trouxe muita inovação tecnológica ao mercado nacional: a CG 125. Foi a primeira moto da marca fabricada no Brasil e fez muito sucesso pelo grande desempenho, agilidade e durabilidade.

Dois anos depois, em 1978, a marca inovou ainda mais a moto com a suspensão dianteira em sistema de molas externas metalizadas e amortecedores com molas internas.

E para fechar a fase da primeira geração, em 1981, surgiu a CG 125 a álcool, a primeira versão mundial com esse tipo de combustível.

2ª geração (1983 a 1988)

Nessa fase, a CG ganhou uma cara nova, mais robusta. A segunda geração foi marcada também com a chegada do câmbio de cinco marchas. E essa etapa da história da moto da Honda foi fechada com a versão CG 125 Cargo, para uso profissional: banco mais largo e individual, com bagageiro, chassi e rodas reforçadas e suspensão dianteira regulável.

3ª geração (1989 a 1993)

Aqui a Honda lançou a CG 125 Today, uma versão com mudanças visuais que marcaram o modelo da motocicleta. Muitas alterações foram realizadas no motor e no chassi, o que contribuiu para o ganho de potência da máquina.

4ª geração (1994 a 1999)

Modernizando o design e com 90 alterações técnicas, foi lançada a CG 125 Titan, na quarta geração da máquina. Essa versão trouxe comandos elétricos renovados, alças nas laterais traseiras, tanque arredondado, inovação nos freios e embreagem.

5ª geração (2000 a 2003)

Na quinta geração, teve novidade, mas o nome Titan permaneceu. O marco dessa época foi o sistema antivazamento de pneus Tuff-up exclusivo. Nessa etapa da jornada, a Honda lançou também a versão intermediária da CG 125 Titan, a KSE, com partida elétrica e freios a tambor.

6ª geração (2004 a 2009)

Na sexta geração, a Honda destacou quatro versões da CG: a 150 Titan — mais rápida, econômica e durável, com o novo motor de 150 cm³; a 150 Job — desenvolvida para transportar carga; a 125 Fan — uma versão econômica, sem pecar na qualidade, que fez muito sucesso, logo se tornando o segundo modelo mais vendido no Brasil; e a 150 Sport — para quem curte velocidade, tecnologia e imponência.

7ª geração (2009 a 2013)

As versões da geração anterior CG 150 Titan, CG 125 Fan e CG 125 Cargo foram renovadas na sétima fase da história da Honda. E chegou ao mercado a CG 150 Titan Mix, inovando completamente esse estilo de motos no Brasil com a versão flex, que pode receber tanto álcool quanto gasolina.

Em 2009, a CG evoluiu ainda mais com a chegada da 150 Titan Mix EX, uma versão esportiva. Nesse mesmo ano, foi lançada mais uma opção flex: a CG 150 Fan.

8ª geração (2013 a 2015)

Na penúltima geração da história da CG, a Honda focou em diversão e funcionalidade, lançando as CG 125 Fan (KS/ES/ESD), CG 150 Fan (ESDi) e CG 150 Titan (ESD/EX). As novas linhas vieram com uma ação inédita na categoria: três anos de garantia.

Para entrar no clima da Copa de 2014, a CG 150 Titan EX BR ganhou as cores da bandeira do Brasil, já que o campeonato mundial seria sediado aqui.

Nessa geração, a linha Cargo também ganhou motor flex. E chegou ao mercado a primeira moto de baixa cilindrada, com sistema de freios CBS (Combined Brake System).

A oitava geração foi fechada com uma versão econômica, a CG 150 Start, para oferecer desempenho mecânico a preço dos modelos de 125 cm³.

9ª geração (2015)

O último lançamento da linha CG evoluiu na motorização, em que o motor de 150 cm² passou a ser de 160 cm³. A evolução veio junto com a renovação do design, mais esportivo e descolado.

A história da Honda CG não é incrível? Então continue conosco e saiba tudo sobre a lendária Honda 750 Four!