Postado 15/04/2017 por Daniel Farkuh

5 dicas para você comprar uma moto clássica sem erros!

Quem gosta de motos sabe que os modelos clássicos são muito mais que apenas máquinas. Eles são o suprassumo da indústria automotiva, verdadeiras obras-primas que foram imortalizadas pelo tempo.

Não são poucos os motociclistas que sonham com uma Sete Galo, uma V-Max 85 ou uma Viúva Negra, porém nem todas essas raridades estão em perfeito estado quando chegam ao mercado; Por isso, é muito importante que você saiba identificar alguns fatores cruciais no momento da compra.

Neste post, vamos abordar 5 dicas para você comprar uma moto clássica sem erros ou surpresas. Confira e fuja das roubadas do mercado de motos usadas!

1. Estude sobre o modelo desejado

Assim como qualquer outra máquina, as motos clássicas possuem suas virtudes e pontos fracos. Algumas apresentam certos defeitos que o tempo só ajuda a agravar. Por isso, é crucial conhecer o modelo escolhido para observar bem seu estado. Por exemplo, se você se interessa por um modelo que costuma apresentar problemas no radiador, verifique o estado da peça e seu funcionamento antes de fechar o negócio.

Como as motos já possuem uma certa idade, fica difícil encontrar peças ou especialistas capacitados. Então, o jeito é conhecer o modelo, saber suas fraquezas e analisar as condições antes da compra.

2. Só acredite vendo

Quem compra veículos usados sabe que existem milhares de anúncios que tentam vender motos “novinhas”, “pouco usadas” ou “em perfeito estado”. Mas a verdade é que não passam de truques para enganar quem não conhece o assunto.

É fundamental que você vá até o vendedor e veja a moto pessoalmente antes de fechar o negócio. Essa visitação lhe permite observar o estado da moto e olhar detalhes que ficam de fora das fotos dos anúncios.

3. Fique de olho nas peças

Conforme a moto roda, é comum que ocorram pequenas deformações e problemas, que são corrigidos ao longo dos anos. A questão é que nem todo proprietário tem o cuidado de usar peças originais. Isso significa que, depois de algum tempo, a moto estará cheia de peças paralelas, o que diminui seu valor junto ao nicho dos colecionadores.

Depois de conhecer pessoalmente a moto que você deseja (e antes de compra-la, é claro), tente observar se as peças são originais, tire algumas fotos e converse com especialistas em restauração e mecânica automotiva. Eles poderão apontar a existência de peças paralelas e outros possíveis “remendos”.

4. Cuidado com motos importadas

Apesar da idade, alguns modelos nacionais ainda possuem peças originais de fábrica sendo vendidas na concessionária. É o caso das Hondas e Yamahas.

Porém, quem opta por uma Harley-Davidson, uma Vespa ou outra marca que não foi produzida em território nacional poderá encontrar dificuldades caso a moto apresente defeitos. Isso ocorre muito em razão da falta de peças e autorizadas no Brasil.

5. Compre em um lugar seguro

Ninguém gosta de ser enganado. Ainda mais quando o produto em questão é uma moto clássica. Para evitar transtornos, faça negócio em um marketplace especializado e que reúna compradores e entusiastas de todo o país.

Essas são algumas dicas importantes para você comprar uma moto clássica e não ter dores de cabeça. Se você quer ficar por dentro de novidades do mercado de carros e motos clássicas, não deixe de seguir nossa página no Facebook! Lá estão disponíveis conteúdos que podem te ajudar a tirar dúvidas e se informar ainda mais sobre modelos clássicos e eventos.